16/12/2014

Unhas decoradas 2015 passo a passo

??????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????A unha é uma estrutura composta por queratina presente na ponta dos dedos da maioria dos vertebrados terrestres. É produzida por glândulas em sua base que secretam grossas camadas de queratina, que se mantêm aderidas à pele até a sua extremidade.

As unhas assumem formas e funções diferentes nas várias espécies animais. Na forma de garras, servem para cavar ou agarrar um substrato ou um alimento. Na forma de cascos, atuam absorvendo o impacto dos membros durante corridas ou para absorver o peso do animal. Nos humanos e em muitos primatas, as unhas são reduzidas, arredondadas e quadradas, o que favorece a precisão na manipulação de objetos com a ponta dos dedos, além de facilitar a ação de segurar galhos ou objetos com as mãos e pés. No ser humano, as dos dedos das mãos crescem aproximadamente 4 vezes mais rápido que as dos dedos dos pés, sendo que as das mãos crescem, por mês, cerca de 3 milímetros.

Unhas Decoradas 2015 passo a passo

As unhas são feitas de uma proteína rígida chamada queratina e são uma forma modificada dos cabelos, são compostas por:

A margem livre é a parte da unha que se estende além do dedo. Não há terminações nervosas nessa região, logo não sentimos dor ao cortá-la.
A matriz ungueal ou raiz da unha – é a porção proximal da unha que cresce. Está embaixo da pele.
eponíquio ou cutícula que é uma dobra de pele na porção proximal da unha.
prega periungueal que é a dobra de pele nos lados da unha.
hiponíquio que é um fixação entre a pele do dedo e a porção distal da unha.
lâmina ungueal que é a parte que nós pensamos quando dizemos unha, a porção rígida e translúcida, composta de queratina.
leito ungueal que é o tecido conjuntivo aderente que está fortemente aderido à lâmina ungueal. Possui uma grande quantidade de terminações nervosas..
lúnula que é a parte branca convexa do leito da unha.
Prega ungueal uma prega da pele dura sobreposta como de base de uma unha.
A unha dividida em 3 partes:
Corpo- Lâmina ungueal é parte visivel que se estende desde a raiz até ao bordo livre.
Raiz- inserida na pele, sempre com tecido fixado em crescimento que é chamado de matriz.
Bordo livre- Secção final da placa até a ponta dos pés.

A unha é constituída por 3 camadas:
Camada superficial- formada pela desvitalização das células ( células perdem seu núcleo e acumulam queratina) que promovem da matriz
Camada intermédia- é mais grossa e tem a mesma origem que a superficial, mas com mais células vivas muito unidas entre si e com menor densidade fibra queratinizadas
Camada profunda- são apenas 2 camadas de células que provém do leito epidérmico.

 

Calendário bolsa família 2015 caixa

Calendário bolsa família 2015 caixa (1)O “Bolsa Família Project” do Banco Mundial, inaugurado em junho de 2005, colabora com o Programa Bolsa Família, consolidando os diversos programas de transferência de renda – anteriormente dispersos – reduzindo suas falhas e duplicidades de cobertura, fortalecendo o sistema de gestão do Bolsa Família e identificando seu público-alvo, bem como desenvolvendo e monitorando um método científico para avaliação dos efeitos do programa, e fortalecendo os aspectos institucionais básicos de sua administração.35

Estudos do Banco Mundial19 revelam que, embora o programa seja muito novo, já foram registrados resultados mensuráveis positivos no consumo de alimentos, na qualidade da dieta e no crescimento das crianças. Kathy Lindert, chefe da equipe do Bolsa Familia project, lista uma série de desafios que terão que ser enfrentados no futuro pelo Bolsa Família, tais como definição clara de objetivos, monitoramento e avaliação, para assegurar que o programa não se torne uma “ilha isolada”, mas seja complementado por investimentos na educação, saúde e na infra-estrutura, ajudando as famílias, em suas palavras “a se graduarem” (ou seja, a saírem) do programa.35 Suas pesquisas indicam que o benefício não desestimula o trabalho e a ascensão social. Pelo contrário, afirma Bénédicte de la Brière, responsável pelo programa na instituição:

Calendário Bolsa Família 2015 caixa

O trabalho adulto não é impactado pela transferência de renda. Inclusive, às vezes, alguns adultos trabalham mais porque têm essa garantia de renda básica que permite assumir um pouco mais de riscos em suas ocupações.18 36
Exemplo seguido por Nova Iorque[editar | editar código-fonte]
Nova Iorque implantou recentemente seu bolsa-família inspirado no programa de transferência de renda Oportunidades, do México, e no Bolsa-Família brasileiro37 . Chamado de Opportunity NYC, o programa piloto atende a cerca de cinco mil famílias de regiões de baixa renda de Nova York, como o Harlem e o Bronx 38 . Da mesma maneira que o Bolsa-Família brasileiro, o programa nova-iorquino dá dinheiro para as famílias pobres que mantêm seus filhos na escola ou fazem exames de saúde.39

Nosso maior desafio foi adaptar para a realidade nova-iorquina esses programas de países onde a renda média é menor’, disse ao Estado a vice-prefeita de Nova York, Linda Gibbs, responsável pelo Opportunity NYC. ‘Examinamos o Bolsa-Família em relação às contrapartidas de comparecimento às aulas e como o aumento na freqüência leva a uma elevação no número de alunos que concluem o ensino médio.

Caderno do Aluno 2015

Na forma coloquial da língua há particularidades na conjugação verbal que ocorrem na conversação, mesmo entre aqueles com mais estudo. Isso não se manifesta, porém, na forma um pouco mais erudita quando escrita.

O futuro simples é sempre substituído pela forma composta

com o verbo auxiliar IR no presente do indicativo + o infinitivo do verbo: dificilmente alguém fala eu farei, diz-se sempre eu vou fazer;
O pretérito mais-que-perfeito simples é sempre substituído pela forma composta com o verbo auxiliar “ter” (não “haver”) no pretérito imperfeito do indicativo + o particípio passado do verbo: Dificilmente alguém fala eu fizera, diz-se eu tinha feito. Quase não se fala também eu havia feito quando na conversação coloquial.como linguagem formal ou informal com girias e etc…
Numa forma mais coloquial, principalmente entre os menos letrados, usa-se muito o pretérito imperfeito como se fosse o futuro do pretérito (condicional): Em lugar de em seu lugar, eu agiria de outra forma, diz-se em seu lugar eu agia de outra forma4 ;

Morfologia nominal[editar | editar código-fonte]
Todos os substantivos portugueses apresentam dois gêneros: masculino ou inclusivo e feminino ou exclusivo. Muitos adjetivos e pronomes, e todos os artigos, indicam o gênero dos substantivos a que eles se referem. O gênero feminino em adjetivos é formado de modo diferente dos substantivos. Muitos adjetivos terminados em consoante permanecem inalterados: “homem superior”, “mulher superior”, da mesma forma os adjetivos terminados em “e”: “homem forte”, “mulher forte”. Fora isso, o substantivo e o adjetivo devem sempre estar em concordância: “homem alto”, “mulher alta”.

O grau dos substantivos é, de uma forma genérica, representado pelos sufixos “-ão, -ona” para o aumentativo e “-inho, -inha” para o diminutivo, ainda que haja numerosas variações para representar esses graus.

Caderno do Aluno 2015 respostas

Os adjetivos podem ser empregados em forma comparativa ou superlativa. A forma comparativa é representada pelos advérbios “mais…que”, “menos…que” e “tanto…quanto” (ou “como”), e a forma superlativa é representada pelas locuções “o mais” ou “o menos”. Para representar o superlativo absoluto, pode-se ainda acrescentar os sufixos “-íssimo, -íssima” (alguns adjetivos, no entanto, fazem o superlativo absoluto com a terminação “-érrimo, -érrima”, ou “-ílimo”, “-ílima”).

Os substantivos vêm geralmente acompanhados de um numeral, pronome ou artigo, assumindo variações de acordo com as funções sintáticas, a saber:

Nominativo (sujeito ou objeto direto): a, o, este, esta, isto, esse, essa, isso, aquele, aquela, aquilo;
Genitivo (adjunto adnominal de posse): da, do, deste, desta, disto, desse, dessa, disso, daquele, daquela, daquilo;
Locativo (adjunto adverbial de lugar): na, no, neste, nesta, nisto, nesse, nessa, nisso, naquele, naquela, naquilo;
Dativo (objeto indireto): à, ao, àquele, àquela, àquilo (a preposição não se funde com os demais demonstrativos).
Os advérbios podem ser formados pelo feminino dos adjetivos, com o acréscimo do sufixo “-mente”, por exemplo: certo = cert(a)mente.

28/11/2014

Tabela Fipe

Se você esta procurando sobre preços de veículos, eu encontrei um site muito bom que fala um pouco de tudo sobre eles. O site fala sobre a tabela FIPE que é uma Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, ela realiza as pesquisas sobre os preços dos veículos nacionais no Brasil. Assim ela disponibiliza em seu site a média dos valores tanto para carros, motos e caminhões.Tabela Fipe Brasil

A idéia do site Tabela FIPE é ser um guia que simplifica as pesquisas, reunindo informação de qualidade para ajudar as pessoas ao tomar uma decisão, ou ajudando de outra maneira, como simplificar pagamentos e etc.

Parece que, no futuro as informações serão atualizadas com os outros tipos de conteúdo que fala sobre carros, motos, caminhões etc. Gostei da idéia porque realmente não é fácil decidir qual veículo comprar ou quanto pagarei de IPVA, e os vendedores estão mais perdidos do que a gente, ou seja, o jeito é descobrir por conta própria e nada melhor do que alguém facilitar o trabalho fazendo a pesquisa por nós, não é mesmo?

– tabela-fipe-2015.com 

– Ler Mais

Clique aqui

Um camião (português europeu) ou caminhão (português brasileiro) é um veículo terrestre para transporte de bens. Ao contrário dos automóveis, onde é comum serem construídos em uma estrutura única (à excepção das minivans), sendo a maioria deles feitos sobre uma estrutura forte chamada de chassis, os caminhões são construídos em várias dimensões, desde o tamanho de um automóvel pick-up com mala aberta ao tamanho de camiões pesados de auto-estrada com semi-atrelados.

20/11/2014

Bíblia Online, Dicionário Online ou Frases de Deus

Bíblia Online, Dicionário Online, Frases de Deus

Diferentes tradições cristãs possuem um diferente cânone para o Antigo Testamento. A Igreja Católica Romana utilizou , a partir do século I, como canônica a versão chamada Septuaginta, que foi uma tradução dos escritos hebraicos para o grego, feita antes mesmo do fechamento do cânone hebraico na tradição judaica. Assim, a Septuaginta inclui material que não foi incluído na Bíblia Hebraica, de fontes diferentes e divergentes, inclusive material original já escrito em grego. Os defensores da reforma protestante excluíram do cânone todos os livros ou fragmentos que não correspondiam ao texto hebraico massorético, e como resposta a isso o Concílio de Trento em 1546 determinou que os livros de Judite, Tobias, Sabedoria, Eclesiástico, Baruc, 1° Macabeus e 2° Macabeus, os capítulos 13 e 14 e os versículos 24 a 90 do capítulo 3 de Daniel, os capítulos 11 a 16 de Ester (todos existentes em língua grega) deveriam ser tratados como canônicos, ao passo que os textos conhecidos como oração de Manassés e os livros de 3 e 4 Esdras não mais o seriam. A Igreja Católica Ortodoxa acabou por decidir pela inclusão de Tobias, Judite, Sirácida e Sabedoria.

Em outras tradições cristãs existe mais material adicional, como por exemplo na Bíblia Etíope e na Bíblia Copta. A tradição reformada optou por seguir o cânone estabelecido pela tradição judaica, porém mantendo a diferente ordem dos livros.

Ver Mais

Ver Mais

Ver Mais

O Antigo Testamento trata basicamente das relações entre Deus e o povo Israelita. Existem vários nexos temáticos entre os livros de acordo com suas divisões (seja a cristã ou a hebraica). Única entre essas tradições é a primeira divisão, a Torá ou Pentateuco, que trata da história sagrada do povo de Israel, a partir da criação do mundo até a ocupação da Terra, passando pela legislação litúrgica e religiosa. Tradicionalmente, a Torá ou Lei é atribuída a Moisés e, depois de sua morte, terminada por Josué; porém, muitos autores defendem que a formação da Torá foi um processo longo passando por diversos grupos de autores até sua adoção uniforme pós-exílica.

Editor de Fotos, Baixar Musicas , Montagem de Fotos, Calculadora Online

Editor de Fotos, Baixar Musicas, Montagem de Fotos, Calculadora Online (3)

Ora, os estudos iniciais da Fotografia, bem como os artistas ao longo do século XIX E XX se preocupavam com o problema da iconicidade da Fotografia, isto é, o potencial de sua imagem e o caráter de seu realismo. O primeiro sinal de problematização dessa modalidade de discurso está na obra de Walter Benjamin, cujo texto “A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica”, revela uma preocupação com a modificação da recepção da Fotografia e do cinema em relação aos meios tradicionais da arte, estudo pioneiro e extremamente influente que leva instâncias inéditas, como o problema da aura (o que a diferencia da arte clássica) bem como o da multiplicação maciça da imagem.

É na obra de Roland Barthes que vemos um segundo momento da tentativa de tratar da Fotografia como meio. A obra de Barthes passa pela construção do estruturalismo, e sua leitura da obra de Peirce. Mas o universo de Barthes não se resume ao universo do signo: seu grande livro sobre Fotografia, “Câmara Clara”, possui um ponto de vista fenomenológico (que refere a Foto ao noema, conceito da fenomenologia de Husserl), bem como utiliza elementos da psicanálise lacaniana. Ao longo da obra de Barthes, a Foto é lida numa chave dialógica característica do estruturalismo, implicando a criação de conceitos tais como conotação e denotação, ou ainda obtuso e o óbvio, até o desenvolvimento do par studium/punctum, que não são mais pólos entre os quais a Fotografia existe, mas estados da Fotografia: como studium, a Fotografia se exibe como objeto indiferente de estudo, enquanto a expressão punctum define a instauração de um fenômeno no qual sujeito e foto se afetam.

Um dos legados da leitura de Barthes sobre a fotografia é a percepção da importância do conceito de “indice”, que é desenvolvido posteriormente nas obras de Rosalind Krauss (em “O Fotográfico”, e em “A originalidade da Vanguarda”), de Jean-Marie Schaeffer (“A imagem precária”), e Philippe Dubois (“O Ato Fotográfico”). Tal relação não apenas tem sido utilizada no campo da arte, como indica Krauss, mas vem permitindo o uso da Fotografia de modo crescente nas ciências sociais.

Ver Mais

Ver Mais

Ver Mais

Ver Mais

A discussão sobre o uso da Fotografia é precedido pela tentativa de compreender sua imagem, o que ocorre desde seu desenvolvimento por diversos fotógrafos ao longo do século XIX (como afirma Geoffrey Batchen). Seu caráter artístico evidente constitui um entrave a seu uso pelas ciências sociais, enquanto seu caráter científico a tornou uma espécie de subalterna no campo da arte, características que parecem se reverter na segunda metade do século vinte, na medida em que o estudo desse meio se aprofundou, as ciências sociais se abriram para a impossibilidade de completa objetividade, e o campo da arte passou a lidar fortemente com a ideia, em oposição a uma ênfase na forma artística.

Os estudos históricos sobre a foto iniciam por volta de cem anos após sua invenção. Já os estudos teóricos sobre a Fotografia parecem iniciar no pós-guerra, e a principal teoria usada para caracterizar a Fotografia advém do campo da semiótica, ou seja, declina da Semiologia de Saussure.

Numa leitura estrita da obra de Charles Sanders Peirce, definidora do campo da semiótica, a Fotografia se definiria a partir das três categorias de signo, que existem numa ordem de importância e dependência umas das outras : o ícone, que é uma representação qualitativa de um objeto – por exemplo, por analogia (é o caso da imagem fotográfica), o índice, que caracteriza um signo que refere-se ao significante pela causalidade ou pela contiguidade (às vezes diferenciado como índex, como na leitura de Umberto Eco), e o símbolo, cuja relação com o significante é arbitrária e definida por uma convenção (é o caso de uma bandeira de um país, por exemplo).

Poemas de Amor, Frases Românticas, Cartas de Amor, Versos de Amor

Poemas de Amor, Frases Românticas, Cartas de Amor, Versos de Amor (3)

A língua latina tem vários verbos correspondentes à palavra “amor”.

Amare é a base para a expressão “ao amor’, como ela ainda está em uso no italiano de hoje. Os antigos romanos utilizaram a palavra tanto num sentido afetuoso, bem como em um sentido romântico ou sexual. A partir deste verbo, viria amans, um amante, amator, “amante profissional”; muitas vezes, como acessório à noção de amante, amica, “namorada”. Muitas vezes, também aplicada eufemisticamente para “prostituta”. O substantivo correspondente é amor, que também é usado no plural para indicar “amores” ou “aventuras sexuais”. Esta mesma raiz também produz amicus, “amigo”, e amicitia, “amizade” (muitas vezes, baseada no benefício mútuo, e correspondendo às vezes mais de perto a “dívida” ou “influência”). Cícero escreveu um tratado chamado “Da amizade” (de Amicitia), que discute a noção com alguma profundidade. Ovídio escreveu um guia para namoro chamado Ars Amatoria (“A Arte de Amar”), que aborda em profundidade tudo, desde assuntos extramaritais a proteção excessiva dos pais.

Complicando um pouco a imagem, por vezes se usa amare. No entanto, é muito mais geralmente expresso em latim por placere ou delectare, que são utilizados mais coloquialmente, o último dos quais sendo usado com frequência na poesia de amor de Catulo.

Diligere, muitas vezes, tem a noção de “ser afetuoso”, “estimar”, e raramente ou nunca é usado como amor romântico. Esta palavra seria adequado para descrever a amizade de dois homens. O substantivo correspondente, diligentia, no entanto, tem o sentido de “diligência”, “cuidado”, e tem pouca sobreposição semântica com o verbo.

Observare é um sinônimo para diligere; apesar do cognato com Inglês, este verbo e o seuscorrespondente substantivo observantia muitas vezes denota “estima” ou “afeto”.

Caritas é usado em traduções latinas da Bíblia cristã para significar “amor caritativo”. Isto significa, no entanto, que não é encontrado na literatura clássica pagã romana.

Ver Mais

Ver Mais

Ver Mais

Ver Mais

A linguagem grega distingue diversos sentidos em que a palavra amor é usada. Por exemplo, o grego antigo tem a expressão philia, eros, ágape, storge e adidasam. No entanto, com o grego como acontece com muitas outras línguas, tem sido historicamente difícil separar os significados das palavras totalmente. Ao mesmo tempo, o grego antigo em textos da Bíblia tem exemplos do verbo agapo sendo utilizado com o mesmo significado que phileo.

Agape (((polytonic | ἀγάπη))agápē), amor Em grego moderno, o termos’agaposignificaeu te amo. A palavraagapoé o verboI love. Geralmente, refere-se a um puro, ideal tipo de amor ao invés de a atração física sugerida peloeros. No entanto, existem alguns exemplos de agapeusada para significar o mesmo queeros. Ele também foi traduzido como “o amor da alma”.

Eros (((polytonic | ἔρως))érōs) é amor apaixonado, com o desejo sensual E saudades. A palavra grega erota significa amor. Platão refinado sua própria definição. Embora eros seja inicialmente sentida por uma pessoa, com a contemplação torna-se uma apreciação da beleza dentro dessa pessoa, ou mesmo se torne apreciação da beleza própria. Eros ajuda a alma recordar conhecimento de beleza, e contribui para uma compreensão da verdade espiritual. Amantes e filósofos são todos inspirados a procurar pela verdade no eros. Algumas traduções o descrevem como “o amor do corpo”.

Philia (((polytonic | φιλία))philía), um virtuoso desapaixonada amor, era uma Conceito desenvolvido por Aristóteles. Inclui lealdade para com seus amigos, familiares e comunidade, e exige força, a igualdade e a familiaridade. Philia é motivada por razões práticas; uma ou de ambas as partes beneficiarem da relação. Também pode significar “o amor da mente”.

Storge (((polytonic | στοργή))storgē) é o afeto natural, Como a que senti por pais para filhos.

Xenia (ξενία xenía), “hospitalidade”, era uma prática extremamente importante na Grécia antiga. Era uma amizade quase ritualizada formada entre um o dono da hospedagem e os seus clientes, que poderiam ser desconhecidos ou não. Esperava-se que estes retribuíssem apenas com gratidão. A importância da hospitalidade pode ser vista em toda a mitologia grega, em particular nas obras de Homero Ilíada e Odisseia.

13/11/2014

Desenhos Realistas

desenhos realistasQuando pensamos que não a nada mais incrível a surgir, as criatividades das pessoas surgem mais perfeitas que nunca. Surgem em formas de Desenhos Realistas, ou seja, são desenhos feitos com muita veracidade, realidade e com pequenos detalhes que fazem toda a diferença.

Cada detalhe aos nossos olhos transmitem uma mensagem, uma recordação que meche com nossos sentimentos.

– Desenhos Realistas

Em geral as caricaturas é uma forma do desenhista se expressar, e no final se tornara uma obra de arte para aqueles que a vêem.

Em minhas buscas incessantes por um site que falasse sobre desenhos realista, fiquei fascinada ao encontrar esse site Desenhos Reais, criada pelo desenhista Bruno Santana que desde cedo já fez sucesso com suas obras. Encontrei diversas obras que me surpreenderam e tenho certeza que vocês também vão se encantar.

Pra ser sincera eu logo pedi a fotografia com maior tamanho disponível a A2. Pelo trabalho que ela deu a ser uma foto a dois, foi um desenho minucioso, mas que valeu a pena esperar. Inclusive chegou na mesma semana que eu fiz o pedido, mas consta de cada região o seu tempo de entrega. E os preços são para o bolso de todos, varia de 100,00 a 200,00, mas compraria de novo.

Ta ai minha dica, espere que gostem como eu gostei! Desenhos Realistas

12/11/2014

Calendário Feriados 2015

Calendário 2015 com Feriados

Alguns povos conservam outros calendários para uso religioso inclusive com cronologia diferente da adotada pela Igreja Católica Romana. Conforme proposta feita por Dionísius Exiguus10 (470 – 544) monge romeno o marco inicial da cronologia cristã tem como data o ano do nascimento de Cristo 11 .

Segundo o calendário gregoriano, hoje é 6 de dezembro de 2014. Para esta mesma data outros calendários apontam anos diferentes, como: Ab urbe condita 2767; Calendário Babilônico 6764; Calendário bahá’í 170–171; Calendário budista 2558; Calendário hebreu 5774–5775; Calendário hindu Vikram Samvat 2070–2071; Calendário hindu Shaka Samvat 1936–1937; Calendário hindu Kali Yuga 5115–5116; Calendário Holoceno 12014; Calendário iraniano 1392–1393; Calendário Islâmico 1435–1436 entre outros.

– Acessando

Sobre o Calendário 2015

Dia: é a unidade fundamental de tempo adotada pelo calendário gregoriano. Um dia é equivalente a 86.400 segundos de Tempo Atômico Internacional (TAI) 13 .

Semana: é um período de 7 dias 14 .

Atualmente muitos utilizam a segunda-feira como primeiro dia da semana, por ser considerado o primeiro dia útil.

Nomes dos meses15 :

Janeiro: Jano, deus romano das portas, passagens, inícios e fins.
Fevereiro: Februus, deus etrusco da morte; Februarius (mensis), “Mês da purificação” em latim, parece ser uma palavra de origem sabina e o último mês do calendário romano anterior a 45 a. C.. Relacionado com a palavra “febre”.
Março: Marte, deus romano da guerra.
Abril: É o quarto mês do calendário gregoriano e tem 30 dias. O seu nome deriva do latim Aprilis, que significa abrir, numa referência à germinação das culturas. Outra hipótese sugere que Abril seja derivado de Aprus, o nome etrusco de Vénus, deusa do amor e da paixão.
Maio: Maia Maiestas, deusa romana.
Junho: Juno, deusa romana, esposa do deus Júpiter.
Julho: Júlio César, general romano. O mês era anteriormente chamado Quintilis, o quinto mês do calendário de Rómulo.
Agosto: Augusto, primeiro imperador romano. O mês era anteriormente chamado Sextilis, o sexto mês do calendário de Rómulo.
Setembro: septem, “sete” em latim; o sétimo mês do calendário de Rómulo.
Outubro: octo, “oito” em latim; o oitavo mês do calendário de Rómulo.
Novembro: novem, “nove” em latim; o nono mês do calendário de Rómulo.
Dezembro: decem, “dez” em latim; o décimo mês do calendário de Rómulo.

– Acessando

– Acessando

06/11/2014

Desenhos Realistas a lápis

Desenhos Realistas Bruno SantanaQuando pensamos que não a nada mais incrível a surgir, as criatividades das pessoas surgem mais perfeitas que nunca. Surgem em formas de Desenhos Realistas, ou seja, são desenhos feitos com muita veracidade, realidade e com pequenos detalhes que fazem toda a diferença.

Cada detalhe ao nossos olhos transmitem uma mensagem, uma recordação que meche com nossos sentimentos.

Em geral as caricaturas é uma forma do desenhista se expressar, e no final se tornara uma obra de arte para aqueles que a vêem.

Em minhas buscas incessantes por um site que falasse sobre desenhos realista, fiquei fascinada ao encontrar esse site Desenhos Realistas a lápis, criada pelo desenhista Bruno Santana que desde cedo já fez sucesso com suas obras. Encontrei diversas obras que me surpreenderam e tenho certeza que vocês também vão se encantar. Desenhos realistas como fazer.

Pra ser sincera eu logo pedi a fotografia com maior tamanho disponível a A2. Pelo trabalho que ela deu a ser uma foto a dois, foi um desenho minucioso, mas que valeu a pena esperar. Inclusive chegou na mesma semana que eu fiz o pedido, mas consta de cada região o seu tempo de entrega. E os preços são para o bolso de todos, varia de 100,00 a 200,00, mas compraria de novo.